Rastros e Saudades em Evocações Narrativas: EAV Parque Lage, Jardim Botânico e Rio de Janeiro

Nathanael Araujo e Patricia Reinheimer



ANTROPOLOGIA DA ARTE, SOCIOLOGIA DA ARTE, TEORIAS FEMINISTAS, PERSPECTIVAS DECOLONIAIS, ARTE IMPRESSA E PUBLICAÇÕES DE ARTISTAS



                 MATRÍCULA                
MATRÍCULA PARA BOLSISTAS


DINÂMICA


Aula expositiva em videoconferência

Exercícios semanais com acompanhamento coletivo em aula

Compartilhamento de referências semanais com debates coletivos em aula

Acompanhamentos individuais com debates coletivos em aula



PÚBLICO


Indicado para pessoas interessadas em conhecer e/ou pesquisar o tema.

Indicado para pessoas interessadas em desenvolver processos artísticos e para pessoas com processos artísticos em andamento.

Não exige conhecimentos prévios.



QUANDO


01 de março a 21 de junho
Segunda, de 10h às 12h



VALOR


R$ 1.520,00 ou 4x de R$ 380,00



RECURSOS NECESSÁRIOS


Acesso à internet

Computador ou celular com câmera



                 MATRÍCULA               
MATRÍCULA PARA BOLSISTAS

SOBRE


Em março de 2021 completamos um ano desde que nos vimos forçados a alterar drástica e repentinamente nossos hábitos mais banais e rotineirizados em decorrência da eclosão da COVID-19. A pandemia também atingiu aqueles que conformam e dão vida à Escola de Artes Visuais do Parque Lage, que desde ao menos 1975 tem contribuído para fazer do bairro do Jardim Botânico, na cidade do Rio de Janeiro, lugar privilegiado para a constituição de identidades de artistas, públicos e pesquisadores das mais variadas manifestações artísticas. Professores, alunos, funcionários, vizinhos e visitantes precisaram suspender projetos e dinâmicas de vidas orbitadas ao entorno da escola, do parque, do bairro e da cidade.

O curso tem como objetivo a realização de um livro de artista com rastros e saudades manifestas de cotidianos vividamente imaginados. Para tanto, seu processo será construído através de encontros e um conjunto de exercícios experimentais que visarão evocar lembranças, recordações, imaginações, desenhos, escritas, fotografias, histórias orais, fonográficas, dentre outras. Entrecruzando teorias e práticas-experimentais artísticas e antropológicas, exploraremos a atenção e o aprendizado a cerca do Engenho Del Rey, da Chácara dos Lages, do Palazzo Romano, do Parque Nacional da Tijuca, da Mata Atlântica, do maciço do Corcovado, do Jardim Botânico, dos projetos urbanísticos cariocas e das artes visuais em meio a tudo isso.

O curso é voltado tanto àqueles que já estiveram fisicamente nas dependências da escola quanto àqueles que, até o momento, só tiveram acesso a ela por meio impresso e oral.


CONTEÚDO


A primeira parte do curso será composta pela apresentação dos principais instrumentos necessários para a apreensão dos objetivos do curso. Apontamentos propedêuticos relativos à antropologia urbana, antropologia da arte e antropologia visual. Entrecruzando teoria e prática-experimental, exploraremos a atenção e o aprendizado sobre o Engenho Del Rey, a Chácara dos Lages, o Palazzo Romano, o Parque Nacional da Tijuca, a Mata Atlântica, o Maciço do Corcovado, o Jardim Botânico, os Projetos Urbanísticos Cariocas e as Artes Visuais em meio a tudo isso.


REFERÊNCIAS


MADERUELO, Javier. La definición de paisaje. In: ______. El paisaje: génesis de un concepto. Madrid: Abada Editores, 2013, p.15-39.

McClintock, Anne. Couro Imperial. Raça, gênero e sexualidade no embate colonial. Campinas, SP. Editora Unicamp, 2010.

MCCALLUM, Cecília; BUSTAMANTE, Vânia. "Parentesco, gênero e individuação no cotidiano da casa em um bairro popular de Salvador da Bahia". Etnográfica 16(2):221-246, 2012.

GIL, José. O medo. N.1 Edições, 2020. Acessível em https://n-1edicoes.org/001 

SEM AUTOR. Um tiro em mim. Quando ficar em casa é também estar em perigo. N.1 Edições, 2020. Acessível em https://n-1edicoes.org/013

AZEVEDO, Aina. Desenho e antropologia: recuperação histórica e momento atual. Cadernos de Antropologia e Arte. Vol. 5, n° 2/2016, pag. 15-32.

GONZALES, Lelia. “Racismo e Sexismo na cultura Brasileira”. Revista Ciências Sociais Hoje,

ANPOCS, 1984, pp. 223-244.

SOUTY, Jerome. Motel Brasil: uma antropologia contemporânea. RJ: Editora Telha, 2019.

VELHO, Gilberto. “Projeto, emoção e orientação em sociedades complexas”. In: _____. Um antropólogo na cidade. Ensaios de antropologia urbana. RJ: Zahar, 2013.

VELHO, Gilberto. A Utopia Urbana: um estudo de antropologia social. RJ: Zahar, 1989.

REINHEIMER, Patrícia. Cândido Portinari e Mário Pedrosa: Uma Leitura Antropológica do Embate Entre Figuração e Abstração no Brasil. RJ: Folha Seca, 2013.

REINHEIMER, Patrícia. Olly. Race, class and gender in the invention of a rustic modernity. Common Ground Research Networks, 2020.

REINHEIMER Patrícia; ARAUJO, Nathanael; SANTOS, Miriam de Oliveira (orgs.) Imigração e Cultura Material: coisas e pessoas em movimento. RS: Editora Oikos, 2019.

THOMAS, Keith. 2010. O homem e o mundo natural. São Paulo: Cia das Letras.




Realização


Apoio Cultural

Apoio



Patrocínio